O que seria o parto humanizado?

Renata_PartoHumanizado

Hoje o parto humanizado é reconhecido como um “tipo de parto” onde se encontram algumas características como nascimento na agua, baixa intensidade da luz, uso de música entre outras coisas… e diante disso passa a ser um produto final a ser entregue ao cliente.

Se pensarmos ainda mais a fundo em todas as interpretações que pode se dar ao termo humanizado, podemos entender a palavra como indicativo de “humano” o que em nossa cultura é compreendido na idéia de ser bondoso, dócil, empático, amável, que gosta de ajudar o próximo e isso pode nos remeter facilmente as possiblidades que existem hoje de livrar a mulher do “sofrimento” do parto, acelerando o processo através de manobras, técnicas ou cirurgias, nobre tarefa que a medicina obstétrica vem cumprindo com louvor.

O que é necessário que o mundo entenda é que o caminho não é nem de vender um produto e menos ainda de livrar a mulher de um pseudo sofrimento, a humanização do parto é muito mais do que tudo isso, porque a humanização do parto é um processo, um processo de busca individual, um processo de vivencias inerentes a vida humana. A humanização tem a ver com tornar as pessoas cada vez mais conscientes de sua humanidade, compreendendo o nascimento de um filho como algo instintivo e natural.

Tornar humano é viver integralmente aquilo que é do humano. É livrar-se das interferências mecânicas, é aproximar-se das origens, é se permitir sentir e emocionar, é considerar o psíquico e o espiritual… nenhum anulando o outro, mas todos como parte da completude que é ser humano.

A qualidade de humano revela processos inerentes ao ciclo vital, ciclo vital que nos transforma dia após dia. O processo de nascimento como algo que inevitavelmente faz parte do ciclo vital e que inevitavelmente nos transforma dia após dia… Por ser parte do ciclo vital o parto se torna um evento natural e completo.

O nascimento de um filho se torna humanizado quando se permite viver o que tem que ser vivido, mesmo que isso envolva dores, conflitos e medos, porque também são estas dores, conflitos e medos os “portais” para nossa transição, crescimento, desenvolvimento e amadurecimento.

Acreditamos no parto como um evento fisiológico perfeito que não precisa de interferências.

Acreditamos que se torna humano aquilo que é respeitado por si mesmo e pelos outros, respeito a culturas, crenças e histórias de vida.

Acreditamos no protagonismo da mulher.

Acreditamos que humanizar é acima de tudo dar direito ao conhecimento e a escolha.

Assinatura_RenataPalombo

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.