10 dicas infalíveis para reconhecer um cesarista

PostCesarista

Ele é um fofo, você o adora. “Claaaaro que faz parto normal, vamos ver como as coisas andam até mais perto de o bebê nascer.” Diz que você não precisa pensar nisso agora, a grávida se dedica ao enxoval e ele se preocupa com as coisas técnicas. “Fica tranquila, mãezinha.”

Foge, chapeuzinho, que este lobo quer te comer.

Vem comigo tirar este disfarce:

1 – Ele nunca se atrasa

Médicos que atendem partos normais estão sempre atrasados, vivem desmarcando o consultório. É impossível adivinhar quando uma mulher vai entrar em trabalho de parto e quantas horas vão se passar até o bebê nascer. Se o seu médico é pontual e nunca desmarca, pode saber: #alertacesarista nele!

2 – As fotos, no consultório, mostram mãe e bebê invertidos.

Mulheres que têm partos normais pegam seus filhos de frente, com as próprias mãos,olhos nos olhos. Quem se submete à cesárea sai invertida na foto; a cabeça do bebê no sentido das pernas da mãe.

As fotos dão outras dicas boas para descobrir se ele só faz aquele parto vaginal de mil-novecentos-e-guaraná-com-rolha ou se trabalha de acordo com as evidências científicas. Se ele assiste partos humanizados, as pessoas na cena não costumam estar de traje cirúrgico, touca e máscara. Geralmente a mãe não está na maca ginecológica. Pode ser que tenha uma bola, ou um banquinho. Não tem registro do médico cortando o cordão, quem faz isso é alguém da família do bebê.

3 – Todo mundo na sala de espera teve um motivo grave para ir para a cesárea (mas todo mundo foi)

Há uma epidemia de falta de dilatação, mecônio, placenta baixa e bebê sentado no consultório do cara. Parece que todas as mulheres do mundo que se encaixam nos 15% de cirurgias recomendadas pela OMS são pacientes dele. Fique esperta! #cesaristadetect

4 – Nunca é hora de falar sobre parto.

Ele te enrola e nunca conversa sobre parto. Diz “não precisa pensar nisso agora!”, ou “claro que vamos tentar, mas ainda é cedo para falar disso!”, “deixa o parto comigo!”. Enquanto isso, vai criando mil caraminholas na sua cabeça: comenta como seu marido é grande e você mignon, diz que a mulher sedentária não consegue parir, solta algum comentário maldoso sobre a sua idade, ou seu peso. Vai preparando o abate. No fim, te leva para a faca como a um cordeirinho, sem nunca ter falado de parto.

5 – Tem ultrassom no consultório

Médico que conhece as evidências científicas sabe que ultrassom não melhora os prognósticos fetais e maternos e que, feito em excesso, pode levar a falsas indicações de cesariana.

Cesaristas AMAM ultrassom. Neles dá para ver cordão enrolado, ficar naquele papo “muito-líquido-pouco-líquido”, fantasiar placenta “meio baixa”, ver bebê de 3kg como se tivesse lente de aumento…

6- Ele não sabe o que é doula

Antigamente esta dica era tiro-e-queda, mas agora, com o parto humanizado cada vez mais na mídia, todo mundo tem pelo menos uma vaga idéia do que faz uma doula. Se o médico confunde doula e parteira, entretanto, pode por o carimbo de cesarista na testa dele.

7- Ele marcou sua cesárea “urgente” para o dia seguinte

Urgente é agora. É sair daqui e ir para o hospital. Se pode esperar até“o dia que ele opera”, a indicação não é tão certa assim. Fuja para as montanhas.

8- Ele acha que acompanhante atrapalha

Ele vai perguntar ao pai do bebê se ele desmaia ao ver sangue. Se o maridão disser que aguenta, vai falar: “mas já viu tanto sangue assim?”.

O cesarista não quer testemunhas. Não é conveniente que ninguém apóie a mulher, pois quanto mais sozinha ela estiver, mais fácil ela fazer o que ele quer.

9 – Ele te pressiona

Se o bebê não encaixar, ele opera.

Se você não entrar em trabalho de parto até 40 semanas, cesárea.

Se o trabalho de parto durar mais de 6 horas, faca.

Cria um monte de regrinhas aleatórias, místicas, sem respaldo nas evidências científicas, para condicionar o parto. Se sua história não for de manual – e a de pouca gente é – esquece.

10 – Ele te trata como imbecil

Ele diz “cortezinho” ao invés de episiotomia. Fala que você não vai aguentar ficar acocorada para ter o bebê, afinal, não é índia. Dá risinhos. Diz que não vai agüentar ver você sentindo dor. Te chama de mãezinha. Nunca fala contigo em termos técnicos, como se você fosse alguma idiota incapaz de entender a “mágica” da medicina.

Este cara quer poder. Ele acha que o parto é dele, não seu. O jeito de fazer isto ser verdade é cortando a sua barriga…

Fonte: Vila Mamífera

1 Comentário

  1. Erica disse:

    DEMAIS! Amei o texto. Um assunto sério que ficou com leitura gostosa.
    Parabéns.

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.