Plano de parto: por que ele é essencial para o seu parto?

Renata_PlanoParto

Quando eu atendo uma gestante como doula, umas das primeiras orientações que eu dou, não importa o tempo de gestação, é que ela comece a elaborar o plano de parto.

No Brasil, a maioria das gestantes desconhece a existência do plano de parto e a maioria dos médicos e instituições hospitalares não o reconhecem como um direito da mulher. O que muitos ainda não sabem é que o plano de parto é tão importante que pertence à categoria prioritária de recomendações da Organização Mundial da Saúde, para melhorar o nível de atendimento a mães e recém-nascidos em todo mundo.

De forma bem simplificada, o plano de parto é um documento em que a gestante registra suas vontades e preferencias para cada etapa do nascimento do bebê. Mas muito mais do que isso, o plano de parto é também uma maneira muito eficaz de proporcionar ao casal grávido informações, esclarecimento de dúvidas e empoderamento. Por esta razão eu faço tanta questão de incentivar as gestantes que acompanho a elaborarem o plano de parto.

A cada item do plano que o casal grávido se propõe a pensar é possível descobrirem e entenderem muitas coisas a respeito deste processo e à medida que vão elaborando aquilo que desejam e que não desejam no momento do nascimento do filho, vão também se transformando e se fortalecendo para um dos momentos mais importantes de suas vidas.

É comum que a gestante se sinta perdida entre tantas opções e opiniões, por isso escrever sobre o assunto vai ajuda-la a organizar as ideias, estabelecer prioridades e determinar preferencias. A ajuda de uma doula nesse processo, pode ser de grande valia, já que durante a planejamento do parto poderão surgir questões ainda não muito claras para a gestante e a doula poderá então esclarecer estas dúvidas auxiliando a mulher a fazer suas escolhas para um parto tranquilo.

Uma das ideias do plano de parto é, também, proporcionar um nascimento respeitoso tanto para a mulher quanto para o recém-nascido. No plano deve estar contemplado tudo aquilo que fará a mulher sentir-se mais segura e acolhida na hora do trabalho parto, que vai desde o local onde ela gostaria de ganhar seu bebê, por quais procedimento gostaria e não gostaria de passar e quais pessoas ela gostaria de ter ao seu lado neste momento único.

Por esta razão é muito importante que todos os profissionais que acompanharão o nascimento do bebê estejam cientes do plano de parto e dispostos a respeitá-lo, na medida do possível. Se seu médico não está dando o devido valor para o seu plano de parto ou se o hospital que você escolheu para parir, diz que não aceita “planos de parto”, talvez seja o momento de você reavaliar se esta instituição e/ou este profissional estão realmente dispostos a respeitar suas escolhas. Nunca é tarde para buscar uma instituição ou um profissional verdadeiramente comprometidos com a humanização e com a assistencia baseada em evidencias.

É de extrema importância ressaltar que a elaboração do plano de parto não é garantia 100% de que tudo acontecerá conforme o registrado no documento. Muitas coisas podem acontecer no processo sendo necessárias mudanças. Isso pode ocorrer não apenas em relação a condutas médicas, mas também por mudanças de desejos da própria gestante, e não há mal nenhum se isso ocorrer. Eu sempre oriento as gestantes que acompanho que o plano de parto não imutável e nem estático e que ele pode estar em constante transformação, inclusive no próprio momento do parto. O objetivo do plano é dar um norte para os eventos que acontecerão durante o trabalho de parto e parto, e não para engessarem o evento. Se você é uma gestante que tem dificuldades para lidar com estes possíveis imprevistos, sugiro que ao elaborar seu plano de parto, você se disponha a pensar também em um “plano b”, “c” e “d”… Permitindo-se ficar aberta também para possibilidades de planos “e”, “f”, “g” e assim por diante. Por mais que se façam planos, somente quando estamos passando pela situação é que saberemos de verdade o que é necessário e preciso naquele momento, estar aberto para estas possibilidades, certamente poderá evitar muitas frustrações.

Lembre-se de que quando for elaborar seu plano de parto deve-se usar como ponto de partida suas próprias experiências, desejos e conhecimentos prévios. Evite usar opiniões de outras mulher ou experiências alheias como parâmetro para suas escolhas. Cada mulher, parto e gestação são únicos, portanto, o plano de parto também deve ser único, visto que o que agrada uma mulher pode não agradar a outra.

Se você está gestante e ainda não parou para pensar em seu parto, aproveite a leitura desse texto e comece agora mesmo a elaborar seu plano, sem dúvida nenhuma, será um momento muito especial e cheio de aprendizados e transformações.

Assinatura_RenataPalombo

 

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.