7 desafios a serem superados na amamentação

Carol_Amamentacao

Quando estava grávida, alguém me perguntou: “Você já comprou a mamadeira?” Surpresa respondi que não, afinal meu plano era amamentar meu filho. A resposta então veio com uma pergunta que tirou meu sossego: “Mas e se você não conseguir?”

Fiquei sem saber o que dizer, COMO ASSIM se eu não conseguir? Em quais circunstâncias isso realmente pode acontecer?

Então fui buscar informações, internet, amigas e livros foram minhas fontes, percebi que isso poderia acontecer sim, se eu deixasse minha confiança ser minada, se eu não me informasse.

Reconheço que há várias situações reais onde a amamentação não ocorre com sucesso, mas o que quero abordar neste post, é o fato de tanta gente desacreditar na amamentação e ainda aterrorizar as pobres gestantes, deixando-as cheias de dúvidas, ansiedade e medo.

Uma amiga me disse que para eu amamentar teria que querer muito, na hora não entendi a profundidade deste “querer muito”, mas hoje, quase 10 meses após o nascimento do meu filho, compreendo.

Há vários obstáculos a serem superados para que a amamentação dê certo.

 

Não marque cesárea

Espere o bebê dar o sinal, isso evita, dentre tantos outros problemas, que ele nasça sem saber sugar.

 

Conheça os protocolos do hospital

Escolha um hospital que respeitem as necessidades do bebê, como mamar na primeira hora, ficar com a mãe e não oferecer fórmulas, nem mamadeiras.

 

Superar a dor

Sim, o bico do peito dói, mas se você cuidar não será por muitos dias, e também não dói durante todo o tempo em que você amamenta.

Certifique-se de que a pega do bebê está correta, use lanolina, casca de mamão, concha para seios e passe seu próprio leite no bico.

 

Medo do leite ser insuficiente

Precisamos observar o bebê, se ele fica relaxado após a mamada, se ele dorme, se está ganhando peso, são indicações de que o leite está suficiente.

Não deixe ninguém te apavorar, e não apavore nenhuma mãe com comentários desse tipo. Não suplemente antes de observar o bebê com calma, lembrando que no começo o estômago dele é pequeno e a quantidade de mamadas é maior, que ele está aprendendo a mamar e que o tempo de mamada não é igual para todos os bebês.

 

Leite empedrado

É bem doloroso e pode evoluir para uma mastite se não for cuidado. Nos primeiros dias nunca pule mamadas, o corpo ainda está regulando a quantidade de leite. Se por acaso pular a mamada, ordene um pouco ou todo o leite, faça compressas de água fria, que irá fazer diminuir a produção de leite, mas não faça por muito tempo para o bebê não ficar sem leite, faça massagens, mantenha a calma e coloque o bebê para mamar.

 

Vaca leiteira

Não, você não será uma vaca leiteira, mas sim uma mãe dedicada que provê vida e amor ao seu filho. Esse termo é pejorativo e ofensivo. Nunca deveria ser usado para indicar algo tão sublime e divinamente projetado.

 

Disponibilidade e serviço

Sim, amamentar requer disponibilidade e um espírito de serviço. Certo dia alguém me disse:  “Mas com ele (meu filho) só mamando, você não pode sair, ir pra lugar nenhum, fazer nada!” Entre tantas resposta eu escolhi esta: “Ele é meu filho, é um prazer amamenta-lo e ele é uma ótima companhia. Se não posso leva-lo à algum lugar, simplesmente não vou”.

Gente, um bebê se alimenta exclusivamente de leite até no máximo 6 meses, depois tudo muda.

Amamentar é vida, nutrição, laços de amor, imunidade, desenvolvimento do cérebro, da inteligência, da segurança.

Que pessoas egoístas estamos nos tornando?

E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;
Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos. (
Mateus 20:27,28)

Assinatura_CarolCalazans

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.