5 razões para você não tirar o vernix do seu bebê

PostVerniz

Em vídeos de parto não humanizado é comum ver os profissionais esfregando o bebê. Uma das razões de tal procedimento é para remover o vernix caseoso. Em alguns partos que acompanhei em maternidades particulares aqui de Minas Gerais, mesmo o bebê tendo nascido de parto natural, mesmo a família deixando claro no plano de parto que NÃO queria que seus filhos fossem banhados antes de 8 horas, as enfermeiras vinham com gaze embebida com óleo mineral para retirar o que consideravam sujeira.

Repita comigo: VERNIX NÃO É SUJEIRA É PROTEÇÃO! VERNIX NÃO É SUJEIRA É PROTEÇÃO! VERNIX NÃO É SUJEIRA É PROTEÇÃO!

A vérnix caseosa é um material gorduroso branco, que é formado pelo acúmulo de secreção das glândulas sebáceas e inclui células epiteliais e lanugem, que recobrem a pele ao nascimento. Esse material pode estar presente sob a forma de uma camada muito fina ou muito espessa e que normalmente desaparece sozinho em torno de 24 horas. Em poucas horas depois do nascimento podemos perceber a pele do bebê sem a camada protetora.

Em geral bebês mais maduros, com mais de 40 semanas apresentam menos vernix. Já os mais prematuros costumam nascer protegidos pela substância.

Durante a vida intrauterina, o vérnix protege a pele do bebê impermeabilizando e fazendo uma barreira contra ações bacterianas. Após o nascimento ele continua proporcionando proteção ao bebê portanto exceto em situações específicas, ele NÃO deve ser retirado.
A manutenção da barreira protetora da pele logo após o nascimento é de fundamental importância para uma boa adaptação extra-uterina, como também para uma boa termorregulação

Este material protetor já atuava antes mesmo do nascimento, protegendo o feto contra possíveis microrganismos presentes no líquido amniótico. Após o nascimento, ele continua protegendo a pele, porém, após as 24 horas de vida sua remoção é recomendada para evitar infecções e alergias causadas pela alta umidade. Em alguns casos, sua remoção deve ser realizada logo após o nascimento, como é o caso de crianças filhas de mães com HIV, historia de infecções prévias e perinatais, e também em casos de líquido amniótico meconial ou fétido.

Principais funções do Vérnix caseoso:

1. Hidratação: Devido ao seu alto teor de água, o vérnix atua como um agente hidratante e aumenta a plasticidade da pele do bebê.

2. Barreira natural contra possíveis infecções: O vérnix atua como uma barreira mecânica contra infecções bacterianas, inibindo o crescimento de bactérias e protegendo a pele do bebê.

3. Auxilia na Formação do manto ácido: No nascimento, o pH da pele é praticamente neutro. Aos poucos, o pH da pele atinge 5,5, um nível ligeiramente ácido e necessário para a defesa da pele contra o aparecimento e crescimento de bactérias patogênicas. A acidificação também mantém a integridade da barreira epidérmica. O manto ácido leva em torno de 2 a 8 semanas para desenvolver-se completamente, dependendo da idade gestacional do bebê.

4. Proteção solar: por conter melanina em sua composição, o vérniz também protege o recém-nascido da radiação ultravioleta e da luz solar.

5. Propriedades regenerativas: O vérnix contribui para a regeneração da pele. As suas propriedades de cura estão sendo estudadas para o tratamento de pacientes adultos com úlceras nos membros inferiores ou em feridas perineais após o parto. Tais propriedades também são usadas no tratamento da dermatite atópica, contra infecções bacterianas e no tratamento de pacientes com queimaduras.

Segundo as Diretrizes da Organização Mundial de Saúde para os cuidados com o recém-nascido, o vernix não deve ser  removido imediatamente.O banho deve ser adiado por pelo menos seis horas após o nascimento.

Por Kalu Brum – Olhar Mamífero

1 Comentário

  1. Solange Maidel disse:

    Esse conhecimento deveria ser de conhecimento de todas as mães.

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.