Acredite no seu corpo, você é capaz de parir!

“Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem”  Salmo 139:14

Desde os tempos bíblicos, o período que forma um ser e o seu nascimento é de se admirar e louvar a Deus, o engenheiro desta obra prima tão perfeita que é o ser humano e o milagre da vida.

AcreditarCorpo

O parto e o nascimento é um assunto que realmente me fascina e me leva para mais perto de Deus. Por que um ser criado com tanto amor e carinho hoje é submetido junto com a sua mãe a um tipo de violência institucionalizada no nascer?

Quando você lê ou ouve na mídia o termo “parto humanizado” te vem à mente um parto elitizado, com direito a música, banheira (de preferência com hidromassagem e cromoterapia), unhas feitas e cabelos perfeitamente arrumados e para ser mais chiquérrimo ainda tem que ter doula para fazer todas as vontades da parturiente e ainda ficar fazendo massagens e um fotógrafo profissional para clicar as melhores cenas do evento?

Infelizmente essa é a visão que muitos têm do parto humanizado, que reduz o parto a um evento cheio de vaidades e o trabalho tão nobre das doulas a um capricho de gente rica. Uma visão muito equivocada que foi disseminada pela mídia.

Vamos desconstruir juntos esta visão e entender o que é parto humanizado e mostrar que é um direito de toda mulher.

Quando eu e meu esposo nos casamos combinamos que primeiro curtiríamos um ao outro e que teríamos filhos após uns 5 anos de casados ou quando sentíssemos que era a hora de aumentar a família. O que nós sabíamos sobre ter filhos era quase nada e temíamos a responsabilidade.

Eu já tinha lido alguns livros sobre educação, inclusive Orientação da CriançaEducação Mente, Caráter e Personalidade, todos de Ellen G. White. Mas, será que era o suficiente? Muitas dúvidas martelavam a minha mente e eu comecei a procurar na internet informações que suprissem as minhas dúvidas. Até que comecei a pensar em como seria o parto. Sempre achei muito estranho minha mãe ter tido três cesarianas.

Como Deus criou mulheres e as capacitou a parir, mas hoje muitas mulheres ficaram incapazes de ter seu filho num parto natural, como Ele criou? Uma equação que não fechava na minha mente. Fui lendo, me informando e descobri alguns sites interessantes, o primeiro deles foi o das Amigas do Parto (www.amigasdoparto.com.br). Foi nesse site que entendi, de fato, o que é humanização do parto.

A partir desse site conheci a lista de discussão virtual Parto Nosso (http://br.groups.yahoo.com/group/partonosso/), que é composta por médicos, enfermeiros, doulas, gestantes e interessados em geral. Eu me enquadrava nos interessados, porque ainda apenas planejava uma gestação para alguns anos posteriores.

Todas aquelas informações científicas, a troca de experiências, os relatos de parto e a visão que eu tinha sobre como Deus nos criou e nos capacitou como mulheres e mães, tudo isso junto mexeu muito comigo, me instigou, me levou a pesquisar profundamente o assunto.

Parto é um assunto envolto em muitos mitos e mistérios. As pessoas temem a tão falada dor do parto. Mas, poucas vão atrás de desvendar os mistérios e esclarecer os mitos.

Mulheres depositam seus corpos e esta experiência tão importante para a sua vida e a de seu bebê nas mãos de médicos especialistas em gestação e parto, porque assim acreditam que deve ser. Mas, o parto é da mulher e os especialistas deveriam se colocar no lugar de assistir, orientar e intervir apenas quando realmente necessário. Parto é um evento fisiológico como urinar, comer, ter relação sexual. Estes que citei ninguém delega assim, sem nem ao menos exitar, sem nem pensar ou questionar. Então, porque o parto é assim tão terceirizado?

Neste primeiro texto vamos ficar por aqui. Mas, quero deixar um apelo para as leitoras que estão grávidas ou que planejam ter filhos a não temerem este gigante.

O parto é um momento incrível que além de propiciar o nascimento de um ser, quando realmente vivido faz nascer uma mãe muito melhor preparada para a maternidade do que se ela escolhesse não viver este momento. Se o Criador definiu que os bebês passariam de 37 a 42 semanas em formação no ventre de suas mães e depois em meio a contrações, como as ondas do mar, envolto ao coquetel de hormônios, os hormônios do amor, como denomina o obstetra francês Michel Odent, as crianças viriam ao mundo, certamente ele tinha um propósito, porque tudo o que Deus faz é perfeito.

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.