Cordão umbilical enrolado no pescoço é motivo pra cesárea?

Kamila_CircularCordao

Basta um exame de ultrassonografia para saber que a vida do bebê dentro do útero de sua mãe é muito ativa. Mesmo sendo um local apertadinho, o bebê adora se mexer bastante, vira de um lado, vira de outro, chuta daqui e dali, com tanto movimento é de se esperar que o cordão umbilical se enrole em alguma parte do pequenino.

Porém, existe um grande mito de que o cordão enrolado no pescoço do bebê poderia causar sufocamento e até matar, quem nunca ouviu a história: “queria muito um parto normal, mas o bebê estava com o cordão enrolado no pescoço e teve que ser uma cesárea”! Será que realmente bebês com “circulares de cordão” não podem nascer de parto normal??

Para começar precisamos entender um pouquinho sobre o cordão umbilical, ele é quem conecta mãe e bebe. É composto por duas artérias e uma veia, sendo coberto por uma substância gelatinosa conhecida como geleia de wharton. Essa geleia protege os vasos sanguíneos além de permitir que o cordão fique “escorregadio” assim, um nó no cordão raramente consegue ser apertado o suficiente para impedir o fluxo sanguíneo para o bebê. O cordão umbilical é responsável também pelo transporte de nutrientes, além de realizar as trocas gasosas entre a mãe e o feto.

Estima-se que um terço dos bebês tenham o cordão enrolado em alguma parte do seu corpo no final da gestação, porém apenas quando ele está envolto no pescoço é que surge o medo. Infelizmente, muitos profissionais usam esse fato para induzir as mulheres a optar pela cesárea, mas a verdade é que apenas a presença do cordão enrolado no pescoço não é indicação de cesárea.

A maior preocupação em um trabalho de parto deve ser a vitalidade do bebê. Um cordão comprimido durante as contrações reduz o aporte de oxigênio para o feto, fazendo com que seus batimentos cardíacos caiam, mas essa compressão pode acontecer independente de circulares de cordão. O cordão pode ser comprimido mesmo estando “solto” e vale lembrar que essa é uma condição muito rara.

Por isso como em qualquer trabalho de parto, seja com ou sem circular de cordão, a vitalidade do bebê deve ser monitorada frequentemente através dos batimentos cardíacos fetais, se houver circulares apertadas que causem diminuição dos batimentos cardíacos fetais, então a conduta obstétrica deve ser voltada para a melhora desses batimentos, e caso a cesárea seja necessária, ela deve ser realizada intraparto.  Portanto em um ultrassom durante o pré-natal, a presença de cordão enrolado seja aonde for não quer dizer que o nascimento precise ser antecipado através de uma cesárea desnecessária.

Se algum profissional quiser induzi-la a realizar um cesárea só por ter o cordão enrolado no pescoço do bebê, fique atenta para não ser você a enrolada.

Assinatura_KamilaRocha

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.