Minha doula e eu: como nosso encontro mudou minha vida

Eu e minha doula Juliana durante o trabalho de parto

Eu e minha doula Juliana durante o trabalho de parto

Quando lembro do meu parto, junto com tantas emoções, vem a lembrança de um par de mãos amorosas para me ajudar, não importava o tipo de serviço.

Massagear, acalmar, trazer ânimo, dar apoio, fazer comida, tirar fotos, colocar música, trazer água, segurar minhas mãos, transmitir força através das próprias mãos….e qualquer outra coisa necessária para meu conforto emocional e físico, sempre com muita ternura e amor.

Esse par de mãos amorosas, era o da minha Doula, que em grego quer dizer mulher que serve.

Pensava que a ajuda de uma Doula era necessária para parturientes desacompanhadas ou para auxiliar a enfermeira obstétrica em caso de partos humanizados. Como meu plano A era um parto humanizado domiciliar, minha enfermeira obstetra logo me perguntou se eu já tinha uma Doula, então fui pesquisar e descobri na teoria e depois na prática, que ela fornece apoio emocional, físico e informativo.

Conheci a Juliana (do Mãe saudável), pessoalmente, menos de um mês antes do meu parto. Contei meus planos e ela que bondosamente me ajudou a também fazer o plano B, foi comigo ao hospital, pintou minha barriga (Ficou linda!), me deu grandes conselhos, foi previamente conhecer o ambiente previsto para o parto, para que pudesse ser mais eficiente e, sempre com sincero interesse, queria saber minhas expectativas quanto ao parto.

O meu trabalho de parto foi demorado, mas minha Doula estava lá amorosamente me servindo, ajudando, fortalecendo meu marido, auxiliando a enfermeira obstetra, transmitindo paz, sempre com palavras cheias de encorajamento, carinho e fé.

Existe uma foto especial onde vejo sua compaixão e entrega em um momento tão meu. Incrível!

Há um versículo na Bíblia que diz que o amor de Cristo nos constrange (2 Coríntios 5:14) e o amor expresso em atos e palavras da Jú me constrangeu. Não de uma forma ruim ou negativa, mas fiquei impressionada com tamanha dedicação, pela entrega sem tamanho, pelo serviço tão cheio de cuidados, pela preocupação tão profunda e verdadeira que se estende até hoje. Enfim, algo que dinheiro algum poderia pagar.

Um amor verdadeiro, intenso, desprendido e desinteressado. Ali, pude ver Jesus e como ele agiria comigo. Tive contato com um belo exemplo do que quero seguir.

Em geral, Doulas são assim, treinadas para amar e isso elas fazem com excelência.

Mas não quero parar por aqui e deixar somente este relato apaixonado, e verdadeiro, sobre minha experiência tão profunda com minha Doula.

No passado, o conhecimento sobre a maternidade era repassado na família, das mulheres mais experientes para as mais novas, mas isso se perdeu a medida que a medicalização da assistência ao parto crescia.

Essa falta de informações acerca de nosso corpo e do trabalho de parto nos faz tomar decisões erradas, nos dá medo e nos traz muitos sofrimentos e consequências indesejáveis. A Doula pode preencher esta lacuna.

Se você permitir, ela dá todo o suporte físico, emocional e informativo quando o conhecimento de nós mesmas e de nosso corpo parece estar tão escasso. Além disso há o acompanhamento na gestação e no pós parto, minimizando possíveis dificuldades e, se houver, ajudando a superar com mais rapidez e facilidade, dessa forma, evitando traumas e sofrimentos da mãe, bebê e família.

Também não importa o tipo de parto. Doula é aquela mulher com informações e amor para dispensar no seu momento tão delicado.

A OMS reconhece e recomenda o suporte dessa profissional e estudos mostram que o acompanhamento da mesma tem um impacto positivo no andamento do parto.

  • Redução de 50% nos índices de cesariana
  • Redução de 25% na duração do trabalho de parto
  • Redução de 60% nos pedidos de analgesia peridural
  • Redução de 30% no uso de analgesia peridural
  • Redução de 40% no uso de ocitocina
  • Redução de 40% no uso de fórceps

(Estudo de 1993 publicado em “Mothering the mother“)

Outros estudos também comprovam que a presença da doula no pré-parto e parto trazem benefícios de ordem emocional e psicológica para mãe e bebê, incluindo resultados positivos nas 4ª a 8ª semanas após o parto:

  • Aumento no sucesso da amamentação
  • Interação satisfatória entre mãe e bebê
  • Satisfação com a experiência do parto
  • Redução da incidência de depressão pós-parto
  • Diminuição nos estados de ansiedade e baixa autoestima

Depois de tantas comprovações científicas sobre a necessidade de uma Doula para o conforto e andamento do trabalho de parto, ainda acrescento mais uma:

Quando olho para trás, vejo que não poderia ter sido diferente. Mesmo com todo apoio do meu marido, que foi fundamental, minha Doula tinha que estar lá.

Ela tinha que estar lá para me amparar, me lembrar que o parto acontece intimamente ligado com o cérebro, que meu corpo é uma orquestra, que eu precisava superar meus medos, que ela estava ali para me ouvir, me encorajar, compartilhar a própria experiência, me lembrar da minha capacidade, que eu tinha forças, que Deus estava ali me ajudando, que a dor iria passar, que cada contração trazia meu filho para mais perto dos meus braços, que eu precisava acreditar, que meu bebê estava chegando e eu precisava realmente desejar ele comigo…

Essa é a importância de uma Doula. A ternura, a serenidade e o amor em forma de mãos que servem.

Assinatura_CarolCalazans

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.