O terrorismo das 40 semanas: o bebê pode passar da hora?

Kamila_40Semanas

Toda mulher grávida, ou pelo menos a maior parte delas, já ouviu a pergunta que não quer calar “para quando é seu bebe”? Todo mundo que participa da vida de uma mulher grávida fica ansioso pela chegada de um novo ser! Os meses vão passando, e as grávidas sabem bem que durante a gestação o que importa mesmo são as semanas, 35, 36, 37, 38, 39 40 semanas. Muitas vezes o bebê não dá sinais de que quer vir ao mundo, então os “palpiteiros de plantão” começam com suas incríveis previsões mágicas “esse menino já passou da hora de nascer”, “ a vizinha da amiga da prima do meu cunhado morreu porque o bebê tinha passado da hora de nascer”, “ marca logo a cesárea, se acontecer alguma coisa com essa criança a culpa será sua”. Ouvir tudo isso com certeza gera insegurança, medo, ansiedade e muitas mulheres começam a realmente acreditar que se o bebê não nascer até uma data pré estipulada o desfecho será catastrófico. Mas, o que a ciência diz sobre isso?

Se você está gravida, já esteve grávida ou pretende ficar gravida, talvez já tenha ouvido o termo ”data provável do parto”, O objetivo desse cálculo é estipular o período provável do nascimento. Calcula-se a data provável do parto (DPP) levando-se em consideração a duração média da gestação normal (280 dias ou 40 semanas depois da última menstruação), o próprio nome já diz ser algo provável, simplesmente porque não existe como saber a data exata que houve a fecundação, por isso o cálculo é apenas uma ferramenta utilizada mais para determinar a fase da gestação do que saber a data de nascimento do bebê, além disso um estudo publicado pela BBC NEWS em 4 de fevereiro de 2015, mostrou que 96% dos nascimentos não ocorrem na data calculada. Outro ponto importante, é que a data é calculada para uma gestação “normal”, ou seja, de 40 semanas, porém quem disse que 40 semanas é a data limite para uma gestação terminar? Acontece que algumas gestações podem chegar até 42 semanas, e de acordo com a ACOG (Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia), uma gestação a termo (dentro dos padrões normais) vai até 42 semanas, portanto 40 semanas não deveria ser um bicho de sete cabeças, visto que 41 semanas e 42 semanas não são consideradas gestação prolongada, e apenas 5% das mulheres terão gestações prolongadas (a partir de 42 semanas).

É verdade que existe medo nos profissionais de saúde e nas próprias mulheres quando o assunto é gestação prolongada, e os maiores medos são a presença de mecônio, insuficiência placentária, “sofrimento fetal”, entre outros…, porém, se a mulher está bem acompanhada por um profissional capacitado, não existe razão para temer! Existe a possibilidade de uma indução do trabalho de parto a partir de 41/42 semanas, e isso deve ser avaliado caso a caso juntamente com a equipe que lhe assiste. O que alguns estudos publicados pela Biblioteca Cochrane mostram é que seriam necessárias muitas induções de trabalho de parto para prevenir algum desfecho ruim para mãe e bebê, portanto a única pessoa que pode definir o momento da indução do trabalho de parto em uma gestação prolongada deveria ser a mulher, desde que a mesma tenha conhecimento de todos os riscos e benefícios, e caso a mulher opte por aguardar o processo espontâneo do trabalho de parto, essa decisão deve ser respeitada, e a monitorização fetal (avaliar o bebe através de cardiotocografia, por exemplo) deve ser constante.

Ah, mas você deve estar se perguntando sobre a grande questão que enfrentamos em nosso país que é o agendamento de cesáreas apenas porque a gestação chegou em 40 semanas não é mesmo? Sim, aqui no Brasil quando as 40 semanas chegam é sinônimo de nascer, porém existe um grande erro em pensar que ao chegar nessa idade gestacional você atingiu o tempo certo de gestação e esse bebe já pode nascer, a questão é que, para calcular a idade gestacional, ou seja as semanas de gestação que aquela mulher está, é necessário juntamente com o cálculo da última menstruação, a realização de ultrassonografia do primeiro trimestre da gestação, porém muitas mulheres e muitos médicos utilizam ultrassonografias mais tardias para o cálculo da idade gestacional e como o ultrassom utiliza medidas do feto para esse cálculo e portanto não é uma ciência exata, a probabilidade de termos um erro de data (geralmente para mais do que aquele bebe realmente tem) é enorme, e como eu disse anteriormente, é praticamente impossível saber o momento exato da fecundação e portanto não sabemos exatamente a idade gestacional daquele bebê, tudo é uma grande estimativa, e assim vemos frequentemente bebês que nascem “ cansadinhos”, simplesmente porque não era o momento certo de eles nascerem, Por isso vale lembrar que a única forma de sabermos que um bebê está pronto para nascer é o início espontâneo do trabalho de parto, que permite através dos hormônios e outros fatores do corpo da mulher e do feto, que o nascimento aconteça no tempo certo para esse novo ser. Então, vamos ficar mais tranquilos, bebês não tem prazo de validade, e se existe uma boa equipe acompanhando essa gestação, vamos deixar que no tempo certo e da melhor maneira mãe e bebe nasçam!

Assinatura_KamilaRocha

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.