Trabalho das doulas torna o parto mais saudável

858567_47653332Com o movimento em favor do parto natural ganhando força no Brasil, surge neste cenário uma personagem muito importante: a doula. Apesar de sua atuação no parto ser muito antiga – tão antiga quanto a própria humanidade – fazem poucos anos que o papel dessa mulher passou a ser definido e conhecido pela sociedade moderna.

A palavra doula deriva do grego e quer dizer “aquela que serve”. Atualmente, é utilizada para designar a mulher treinada e com experiência em nascimentos, que provê suporte físico, emocional e informacional à mamãe e sua família durante o pré-parto, parto e pós parto.

Desde muito tempo que as mulheres que dão à luz são acompanhadas por outras mulheres. Além da parteira – responsável pelo nascimento – sempre estiveram presentes amigas, parentes ou comadres, que lhe ofereciam todo o apoio necessário nessa hora importantíssima.

Com a entrada do masculino e da tecnologia no cenário do parto, tanto as parteiras como as doulas tiveram sua atuação obscurecida. No entanto, atualmente essa presença feminina tem retornado com toda força não apenas nos cenários de partos domiciliares, mas também em maternidades públicas e particulares, sendo recomendadas pelos obstetras humanizados e inclusive pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A doula não substitui o acompanhante escolhido pela gestante e muito menos o obstetra. Em seu trabalho, ela utiliza técnicas de respiração, relaxamento, massagem e métodos não-farmacológicos de alívio à dor, e auxilia a mulher na escolha de posições mais confortáveis para o parto. Vários estudos científicos mostram os resultados deste apoio contínuo, entre eles, reduzir o número de cesarianas, a duração do trabalho de parto e o uso de analgesia.

Afinal, o que uma doula faz?

A doula é uma profissional treinada para oferecer apoio físico e emocional para a parturiente no momento do parto, através de elogios, afirmações positivas, contato físico (se a gestante desejar), massagens e outras técnicas não farmacológicas de alivio da dor, explicações do que está acontecendo, sugestões de posições mais confortáveis, orientação de exercícios com finalidades específicas, respiração, ambientação (luzes, músicas, aromas, etc), etc. Antes do parto, ela pode preparar a gestante para o parto normal através de exercícios, orientações, indicações de profissionais e maternidades mais adequadas às expectativas da gestante, terapias alternativas (se fizer parte de sua formação), empréstimo de livros e DVDs explicativos, etc. Existem também as doulas pós-parto, que irão auxiliar nos assuntos relativos à amamentação, maternidade e cuidados com o bebê.

É importante lembrar que a presença da doula deve ser absolutamente discreta, pois a grande protagonista desse momento deve ser a mamãe. Pode-se dizer que o maior papel da doula deve ser proteger a parturiente de todos os estímulos externos que sejam prejudiciais ao bom andamento do parto. Nesse sentido, a doula deve atuar como uma espécie de anjo da guarda protetor que irá cuidar de todos os detalhes de iluminação, temperatura, privacidade, higiene, bem-estar, etc, para que nada atrapalhe esse momento tão especial.

O que uma doula não faz?

É importante ressaltar que a doula não substitui o médico, a enfermeira-obstetra, a parteira e/ou o acompanhante. A doula vem somar com sua valiosa ajuda, e jamais subtrair qualquer outro profissional vinculado ao nascimento. Além disso, não é papel da doula realizar nenhum tipo de intervenção médica ou invasiva, nem tomar nenhum tipo de decisão pela parturiente.

Quais são os benefícios de contratar uma doula?

Segundo estudos recentes, a presença de uma doula no cenário do parto pode reduzir em até 50% o índice de cesarianas e em até 75% a aplicação de anestesia peridural. Além disso, mulheres acompanhadas por uma doula relatam maior satisfação com a experiência de dar à luz, menos dor, menos ansiedade, menos tempo de trabalho de parto, menos intervenções (como ocitocina, fórceps, etc), menor índice de depressão pós parto e um maior índice de sucesso na amamentação até 6 semanas após o parto.

Como contratar uma doula?

Atualmente, existem muitos tipos de doula, com as mais variadas formações: desde mulheres que já tiveram uma experiência positiva de maternidade e desejam ajudar outras mulheres, até mesmo aquelas formadas em cursos específicos e com outras formações agregadas, como psicologia, acupuntura, fisioterapia, etc. Em algumas poucas maternidades existem doulas voluntárias, mas em geral esse serviço é contratado de forma particular. Mas lembre-se: a empatia é fundamental. Na hora de escolher sua doula, o mais importante é se sentir segura e confortável com aquela pessoa que irá te acompanhar em um dos momentos mais especiais de sua vida!

Fonte: Nosso Bem Estar

Deixe um comentário

* Campos obrigatórios. Seu endereço de email não será publicado.